sábado, 22 de fevereiro de 2020

Cientistas dizem que pode haver vida no subsolo de Marte

No próximo verão, a NASA planeia lançar o rover mais sofisticado da história de Marte, um gigante de 2.260 libras que, se tudo der certo, acabará por enviar amostras do Planeta Vermelho de volta à Terra.
Uma esperança importante é que o veículo espacial recolha novas evidências de vida, viva ou extinta, no nosso vizinho planetário. O Space participou de uma conferência recente sobre astrobiologia em Marte e descobriu que quase todos os participantes pensam que, se houver vida lá, é provavelmente no subsolo.


Photo Pixabay//WikiImages



Na conferência Mars Extant Life, de acordo com o Space, o cientista de pesquisa do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, Vlada Stamenković, apoiou a ideia de que, se a vida marciana existe, ela provavelmente está no subsolo.
"A superfície de Marte é um ambiente muito oxidante e com muita radiação, onde a água líquida não é realmente estável por um longo período de tempo", disse Stamenković. "É o pior lugar para procurar locais de vida em Marte."
Alguns cientistas defendem a criação de robôs ágeis que possam explorar os sistemas de cavernas marcianas, mas isso seria um projeto técnico extremamente complicado.
Mais realista, diz Stamenković, seria que a agência coloque em Marte equipamentos capazes de detetar águas subterrâneas e produtos químicos associados a uma possível vida, a partir da superfície.
O mais provável é, para explorar os mistérios da superfície de Marte, talvez tenhamos que esperar até os esperados planos da NASA de enviar seres humanos para o Planeta Vermelho, atualmente previsto para meados da década de 2030



China, estudantes habitam colonia simulada de Marte


Fonte//Space



terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Cientistas inventam dispositivo que gera eletricidade a partir da chuva


Uma equipa de engenheiros construiu um tipo de gerador que gera uma poderosa explosão de energia sempre que é atingido pela chuva.
Essa equipa descobriu como de uma única gota de chuva gerar um poderoso flash de eletricidade.

Chuva
Photo Pixabay//Free-Photos

O que é a energia eólica Offshore?


Os investigadores da City University de Hong Kong que inventaram o dispositivo, a que chamaram de gerador de eletricidade baseado em gotículas (DEG), dizem que uma única gota de chuva pode gerar por breves instantes 140 volts. Isso foi suficiente para alimentar 100 lâmpadas pequenas em flash e, embora ainda não seja prático o suficiente para o uso diário, é um passo promissor em direção a uma nova forma de eletricidade renovável.
O DEG usa uma "estrutura de estilo transistor de efeito de campo , que pode transformar as chuvas em breves rajadas de energia.


O material de que o dispositivo é feito contém uma carga elétrica quase permanente, e a chuva é apenas o catalisador que desencadeia o fluxo de energia, de acordo com uma pesquisa publicada na semana passada na revista Nature .
Agora a meta será encontrar uma maneira de transformar essa tecnologia em algo viável para as casas das pessoas, por enquanto, não é estavel o suficiente para ser uma fonte contínua de energia, pois precisa carregar antes que possa soltar outra explosão.
Enquanto isso, poderia servir como uma fonte de energia pequena e temporária em garrafas de água ou guarda-chuvas futuristas.


Nova tecnologia melhora a purificação de água e o armazenamento de energia

Fonte//Futurism




sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

A NASA planeia construir naves espaciais no espaço


A NASA contratou várias empresas para testar um robô de construção de satélites no espaço.
A parte mais cara da exploração espacial é colocar o material no espaço.
 O foguete Saturno V do programa Apollo da NASA queimava milhões de litros de produtos químicos explosivos. É preciso muita força propulsora para gerar a energia necessária para levantar foguetes e suas caras cargas e as colocar no espaço. E nem vamos mencionar o peso do combustível. Não importa como seja feito, a gravidade é um obstáculo que limita a ambição da exploração espacial.  



Construção-no-espaço
Photo Maxar Technologies / NASA

NASA revela quais as possibilidades de um mega asteróide atingir a Terra



A NASA e a SpaceX aprenderam isso da maneira mais difícil. Mas com um novo contrato de US $ 142 milhões concedido à MaxarTecnologias de Westminster, Colorado, a NASA lançou oficialmente planos para mudar sua estratégia. Em vez de construir no solo e lançar material no espaço, a NASA está ultrapassando esses obstáculos e  vai construir as naves espaciais em órbita.
A Maxar Technologies foi contratada para montar uma antena de comunicações e uma nave, em órbita. Isso acontecerá no Restore-L da NASA, uma nave espacial projetada para manter e reabastecer satélites em órbita baixa da Terra.
O Restore-L levará a carga útil exclusiva da Maxar, chamada Space Infrastructure Dexterous Robot (SPIDER), em órbita. O robô possui um braço robótico leve de 5 metros (7 pés) com sete articulações que se desdobram como um canivete suíço. Em órbita, o SPIDER retirará sete painéis do Restore-L e os ligará, como seções de uma lagarta, para montar uma antena refletora funcional de 3 metros (9 pés), semelhante ás usados ​​para transmitir canais de TV . Quando terminar, a antena criada por robô executará transmissões de banda Ka (micro-ondas) com uma estação terrestre.


A SPIDER também construirá uma viga composta leve de 10 metros (32 pés), usando a tecnologia de ponta desenvolvida pela Tethers Unlimited Bothell, com sede em Washington . Esta fase da demonstração provará a capacidade do SPIDER em construir grandes estruturas, como outras naves espaciais, em órbita.
"A montagem e fabrico no espaço permitirão maior flexibilidade, adaptabilidade e resiliência da missão, que serão essenciais para a abordagem de exploração da Lua para Marte da NASA", disse Brent Robertson, gerente de projeto da Restore-L no Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt , Maryland. Como projeto, o Restore-L desenvolverá um conjunto de tecnologias capazes de manter e reabastecer satélites no espaço. Atualmente, a missão está programada para meados da década de 2020.
Além da Maxar e da Tethers Unlimited, a equipe de carga útil do SPIDER inclui o Centro de Tecnologia Robótica da Virgínia Ocidental em Morgantown e o Centro de Pesquisa Langley da NASA em Hampton, Virgina.
 Como líder do mundo em exploração espacial, a NASA deve finalmente cumprir suas aspirações do século XX de colonizar o espaço. E, o melhor ainda está por vir.

AstroClipper o avião espacial voará em 2022



Referencia//InterestingEngineering